FEIA 16

FEIA 16 - de 19 a 27 de setembro de 2015


O querido Festival do Instituto de Artes finalmente vai começar, como sonho de infância tão esperado, nesse ano em que ele completa 16 edições - 5 destas como parte do calendário oficial do IA. Um dos eventos de difusão das artes de maior relevância no anuário cultural da cidade de Campinas, a iniciativa surgiu na virada do milênio organizada por estudos do Instituto de Artes da Unicamp. E é por lembrar dessa nossa história, recente sim, mas que contém tantos corpos daqui e dali, ano após ano, trabalhando meses para fazer uma semana, que é sempre hora de lembrar que sua feitura leva tempo.

A programação (gratuita a toda a comunidade, diga-se!) ocupa mais de uma semana - 19 a 27 de setembro neste ano - e todos os períodos de seus dias: oficinas, palestras, apresentações de música, dança, teatro, exibições de filmes e vídeos. Além disso, há também performances, intervenções, exposições artísticas e festas (o único item de nossa programação que não é gratuito), afinal, há muito que se comemorar!

Tudo o que está despencando aqui é fruto de todo esse ano em que nos encontramos para que o FEIA acontecesse. E de todos os anos que vieram antes. Materializam, por assim dizer, o encontro entre processo e produto, criando um recorte de tempo suspenso que modifica o espaço de todo dia. O FEIA XVI é um nosso sonho que toma forma nessa semana. Permita-se a experiência. Deixe-se abraçar por Morfeu.

Abertura


Encerramento


BOTECO DA ESTAÇÃO

Regional Currupião

O Regional Corrupião é um grupo de Choro em sua forma tradicional de instrumentação e sonoridade, trazendo consigo o “espírito chorão” das rodas tradicionais que caracterizam o estilo e também o requinte de cuidadosos arranjos que enobrecem o estilo e a instrumentação. O grupo também interpreta clássicos do Samba e das Serestas mesclando assim as belas melodias choradas da música popular junto as canções brasileiras que retratam o dia a dia e os dramas sentimentais vividos nas canções

Grupo Alvorada

O Grupo Alvorada é um conjunto de jovens músicos que fazem parte da nova geração do samba na cidade de Campinas voltado ao samba de raiz, apresentando músicas que se caracterizam pela diversidade rítmica das vertentes do samba, como o par- tido-alto, o samba de breque, o sam- ba de quadra entre outros. Fazendo desta afi nidade musical seu principal foco de estudo, Francisco Cardoso (Cavaco e Voz), Gabriel Simões (Sur- do e Rebolo), Matheus Crippa (Violão 7 cordas) e Victor Prudencio (Pan- deiro) resgatam os renomados sam- bistas e compositores fundadores das principais Escolas de Samba do Rio de Janeiro e São Paulo.

Onde? Estação Cultura
Quando? Sábado (19/09), 13h

TOM ZÉ

Persona mais inventiva da Tropicália, Tom Zé trata sobre temas atuais em seu novo álbum, como patrulha ideológica, geração Y, mídia impressa e tecnologia. A abordagem das composições varia, com maestria, entre irônica, crítica e poética. O disco traz participação especiais de nomes em ascensão na cena nacional, como Tim Bernardes (O Terno), Trupe Chá de Boldo, Filarmônica de Pasárgada e Silva, além de Criolo, Kiko Dinucci e Tatá Aeroplano.

Onde? Auditório Beethoven (Concha Acústica do Taquaral)
Quando? Domingo (20/09), 17h

XAPIRI XAPIRIPË

Cia Oito Nova Dança

XAPIRI XAPIRIPË, lá onde a gente dançava sobre espelhos é um espetáculo livremente inspirado na imaginação ameríndia. A partir da perspectiva do movimento é fundamentado na pesquisa de um corpo ancestral, realizada por cada intérprete-criador. Xapiri é como os povos Yanomami chamam os espíritos ou ancestrais animais que se apresentam aos xamãs dançando e cantando. Seus corpos translúcidos estão sempre belamente adornados e brilham. Dançam sempre sobre um chão de espelhos que refl ete luz. Xapiri é luz que dança e canta

PICADINHO DA VELHA

com Nailor Proveta e Toninho Carrasqueira

Em sua primeira empreitada, o grupo grava um disco em homenagem ao centenário de Guerra-Peixe, resgatando doze composições de cunho popular. Os arranjos foram feitos por Jayme Vignoli e a direção musical, por Nailor Proveta. Picadinho da Velha é formado por Chico Santana (pandeiro e percussão), Diogo Nazareth (piano), Eduardo Pereira (cavaco e bandolim), Fernando Sagawa (saxofone) e Franco Galvão (violão 7 cordas). Nesta apresentação, o grupo convida Nailor Proveta, Toninho Carrasqueira e Edu Guimarães, que também participaram do disco.

HELENA VADIA

Performer: Pâmela Villanova

Uma performopalestra que aborda discussões de gênero e sexualidade. Uma exploração cênica do mito de Helena, a mulher vadia, erótica, sexualmente ativa. Em meu corpo de atriz são experimentados marcadores de feminilidade e de masculinidade, justamente questionando a dualidade. Tão ambígua quanto Helena, a cena teatral é considerada um campo fértil para a fl exibilização do fazer gênero, da performatividade de gênero.

AULA-ESPETÁCULO

Maria Eugênia Nóbrega (Brincante, Cia Soma)

A dançarina irá compartilhar com o público uma reflexão sobre as singelezas e preciosidades do legado oferecido pelas danças de um Brasil antigo e inovador. Assim: com um pouco de pé, um pouco de planta, um pouco de fala e um pouco de dança!

Apresentações


Dia Artes Cênicas Artes Visuais Dança Midialogia Música Gaia Noites FEIA
Segunda (21/09)

AMOR DE IMPROVISO

Sala AC03 - PAVIARTES (Barracão)
20h (60 minutos de duração)

Lançamento da zine “O Churros Encantado”

Sala AP07
IA; 15h

I Feia Ocupa

Praça do Marco Zero

Catedrais

Auditório do Instituto de Artes - IA
13h (40 minutos de duração)

Coreografias de Joshua Monten

Auditório do Instituto de Artes - IA
18h (50 minutos de duração)

Mostra de Curtas

Estúdio da Midialogia - IA
16h

Vigilante (2015)

Batcaverna (IA)
Dia inteiro

MASTERCLASS com Carlinhos Antunes

Sala MU41 - IA
9h - 12h

Sagane

Teatro de Arena (Unicamp)
18h

Abertura da Exposição

Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)
12h30

Entre Devaneios

Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)
12h30

CANJA INSTRUMENTAL

Villa Bar
22h
Terça (22/09)

QUANDO OS SUBTEXTOS SÃO TEXTOS

Sala AC03 - PAVIARTES (Barracão)
18h (70 min de duração)

CONVERSA ABERTA COM PROFESSORES

Sala AP11 - IA
14h às 16h

ENSAIO SOBRE AS PEQUENAS DISTÂNCIAS - ESTUDO PARA O INFINITO

Sala AD01 - PAVIARTES (Barracão)
18h

evento do facebook

Auditório do Instituto de Artes - IA
19h

MADEIRAL

Vão do PB
12h30

TREM DOIDO

Teatro de Arena (Unicamp)
18h

VICTOR POLO

Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)
14h00

UM CAFÉ PARA DOIS

Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)
13h30

Amanda Gonsales e Denis Sartorato interpretam Cartola


Luiza Lian
Os Amanticidas

Echos
22h
Quarta (23/09)

ELDORADO

Sala AC03 - PAVIARTES (Barracão)
20h (60 minutos de duração)

PALESTRA: Representatividade LGBTQ

Sala AP11 - IA
14h às 15h30

Roda de conversa Com George Gutlich

Sala AP10 - IA
13h

AS COLEGAS DE TRABALHO (2015)

Estúdio da Midialogia - IA
20h (50 minutos de duração)

MASTERCLASS Com Sidmar Vieira

Sala MU41 - IA
9h - 12h

A REPÚBLICA IMPERIAL (Belém)

Teatro de Arena (Unicamp)
18h

PAISAGENS: OLHARES DO NÃO-VISÍVEL

Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)
12h

HELENA VADIA

Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)
12h40

Lançamento do quadrinho “Garota Siririca”

Casa São Jorge
22h
Quinta (24/09)

UM CAFÉ PARA DOIS

Cantina do Gatti - PAVIARTES
12h

Marco Zero
16h (15 minutos de duração)

JERUSALÉM

Sala AC03 - PAVIARTES (Barracão)
18h

RODA DE CONVERSA Com Melanie Graille

Sala AP11 - IA
14h às 16h

O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO AGORA [?]

do Terminal de Barão Geraldo à Unicamp (Barracão)
14h

Auditório do Instituto de Artes - IA
20h

Mostra de Curtas

Estúdio da Midialogia - IA
15h

Palestra Com Corinne Noordenbos (Holanda)

Sala AP010 - IA
9h - 12h

LUCAS MADI E PAULO OHANA

Vão do PB
12h30

ABDUÇÕES PARA PEQUENAS REVOLUÇÕES

Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)
12h30

Festa em Rep: Dom Pescoço


DJ Xegado
Helena9999

República a ser divulgada
22h
Sexta (25/09)

{ENTRE}

Sala AC03 - PAVIARTES (Barracão)
19h (90 minutos de duração)

Comissários do Buzão

Pelas linhas 330 e 333
16h - 18h30

A ÚLTIMA ESTRADA

Sala AD01 - PAVIARTES (Barracão)
18h

ESTREIA “COISA-MALU”

Auditório do IA
14h

Mostra de Audio

Estúdio da Midialogia - IA
15h

Djambê (Belo Horizonte)


Indee Styla (Espanha)

Coreto da Praça Carlos Gomes
Sexta (25/09), 20h

TRIO DO VENTO

Galeira do Instituto de Artes (GAIA)
12h30

Artes Cenicas

AMOR DE IMPROVISO

Cia. Elevador de Teatro Panorâmico

Direção: Marcelo Lazzaratto

AMOR DE IMPROVISO não é uma peça pronta, com estrutura convencional, ensaiada, fi nalizada e depois apresentada ao público. O espetáculo é uma obra que se pretende aberta. A cada dia um novo “jogo” é colocado em cena o que faz das possibilidades descobertas pelos atores e pelo público uma potência do ato criativo vivo, uma experiência. Apresentada pela primeira vez em 2003 e com mais de 150 apresentações, a montagem estimula a criação tanto dos atores quanto da plateia.

Onde? Sala AC03 - PAVIARTES (Barracão)

Quando? Segunda (21/09), 20h (60 minutos de duração)

Voltar

QUANDO OS SUBTEXTOS SÃO TEXTOS

Raquel Scotti Hirson (Lume Teatro)

Neste encontro-demonstração, a atriz Raquel Scotti Hirson mostra um pouco do processo de criação e pesquisa do seu solo “Alphonsus” e de sua pesquisa em torno da “Mímesis da Palavra”. “Alphonsus” retrata o “encontro” da atriz com seu bisavô, o poeta simbolista mineiro Alphonsus de Guimaraens. Como seria possível encontrá-lo? Com o olhar na poesia, Raquel ampliou a curiosidade de saber quem foi este homem capaz de poetar em meio à monotonia de seus longos dias provincianos. Buscou na família e em sua infância os laços que a permitissem encontrar conexões entre poesia, vida e criação.

Onde? Sala AC03 - PAVIARTES (Barracão)

Quando? Terça (22/09), 18h (70 min de duração)

Voltar

ELDORADO

Concepção, pesquisa e atuação: Eduardo Okamoto

Dramaturgia de Santiago Serrano

Direção de Marcelo Lazzaratto

Acompanhado por uma “Menina”, um cego busca encontrar o que nenhum homem pôde jamais: Eldorado. Toda estória se resume a isto: era uma vez um homem que procura. Nos tempos e lugares da viagem, haja espaço para humanidades – travessia. “Eldorado” fala destes territórios de viagem. Ali, onde o viajante é atravessado enquanto atravessa geografias. Ali, onde todo homem é único e igual a todos os demais.

Onde? Sala AC03 - PAVIARTES (Barracão)

Quando? Quarta (23/09), 20h (60 minutos de duração)

Classificação: 12 anos


UM CAFÉ PARA DOIS

Coletivo Volta

Direção: Marília Coelho

Um diálogo entre um casal, amigos ou mesmo desconhecidos, em que nenhum assunto importante é conversado. Até o momento em que a frase “você é meu companheiro” é dita, transformando esse diálogo numa grande contrariedade e incoerência na comunicação. Inspirada no livro “Morangos Mofados” de Caio F. de Abreu, a performance em dança “Um café pra dois” contém refl exos autobiográfi cos dos integrantes do Coletivo Volta sobre o amor, o companheirismo e as falhas na comunicação.

Quinta (23/09), Cantina do Gatti - PAVIARTES - 12h

Marco Zero - 16h

Voltar

JERUSALÉM

Grupo P.U.T.O

Direção: Rodrigo Hayalla

Baseado no romance homônimo do autor português Gonçalo M. Tavares, o espetáculo Jerusalém explora outras possibilidades de relações entre as personagens da obra literária e apresenta cinco personagens presas num mesmo espaço ficcional denominado “Jerusalém”: Um médico que estuda a história do horror através dos tempos, uma mulher que se diz esquizofrênica e passa os dias a cuidar de um bebê inexistente aos olhos dos demais, uma prostituta sem coragem de ir embora, um veterano de guerra que odeia crianças, e uma jovem vítima de violência sexual que aguarda o regresso da mãe.

Onde? Sala AC03 - PAVIARTES (Barracão)

Quando? Quinta(24/09), 18h

Classificação: 18 anos


{ENTRE}

Coletivo Negro

Direção: Raphael Garcia e Aysha Nascimento (assistência

Um conjunto habitacional e quatro vidas de parede-e-meia: uma mulher com uma criança no ventre; um pai que deseja retornar a vida familiar; um filho que busca se construir, bem como sua identidade e caminho; e um médico que retorna ao local onde se criou para reencontrar o seu passado e origem. Quatro histórias que buscam preservar-criar um sentido pessoal e coletivo de celebração e busca do afeto

Onde? Sala AC03 - PAVIARTES (Barracão)

Quando? Sexta (25/09), 19h (90 minutos de duração)

Classificação: 14 anos

Voltar

Comissários do Buzão

Timoteo e PimBim

O trabalho visa a realização de intervenção circense através da linguagem do palhaço, dentro dos transportes pú- blicos (ônibus) no município de Cidade de Campinas.

Onde? Pelas linhas 330 e 333

Quando? Sexta (25/09), 16h - 18h30

Voltar

Artes Visuais

RODA DE CONVERSA

Lançamento da zine “O Churros Encantado”

A zine “O Churros Encantado” propõe uma reavaliação dos contos de fadas. Reunindo artistas de áreas distintas, tanto da ilustração infantil quanto do quadrinho cômico, diversas histórias da carochinha foram selecionadas e representadas. A ideia não era apenas uma ilustração comum das histórias, mas o modo como cada artista a enxerga. Sua equipe vem do encontro entre Mario Cau (professor ilustrador inspirador), Fernanda Gaspar (conhecedora de lineart e anatomia), Edegar Agostinho (com tirinhas charmosamente engraçadas) e Didi Mamushka (sabiá matreira que idealizou esse projeto, no qual aparece com aquarelas assombrosas e manchas únicas).

Onde? Sala AP07 - IA

Quando? Segunda (21/09), 15h

Voltar

CONVERSA ABERTA COM PROFESSORES

O intuito dessa conversa é abrir espaço para os docentes do Instituto de Artes da UNICAMP apresentarem sua produção pessoal e sua trajetória como artista, visando promover o diálogo entre a comunidade acadêmica e o público interessado nas mais diversas linguagens das artes visuais. Os artistas convidados para o FEIA 16 são: Antonio Carlos Tuneu, pintor e professor pleno da UNICAMP desde de 1999. Em sua formação estudou com Tarsila do Amaral entre os anos 1960 e 1966 e participou de varias exposições de destaque como a Bienal Internacional de São Paulo. Sua especialidade técnica envolve Gravura, Pintura e Desenho; e Luise Weiss. Logo depois da roda de conversa haverá a abertura da exposição FEIA Convida - Tuneu e Luise Weiss, no CDC.

Onde? Sala AP11 - IA

Quando? Terça (22/09), 14h às 16h

Voltar

PALESTRA: Representatividade LGBTQ

Como (não) criar personagens femininas em narrativas gráficas, com Gabriela Masson (Lovelove6)

Analisando personagens e narrativas de quadrinhos, cinema e games, Lovelove 6 refl ete acerca da superssexualização, objetifi cação, invisibilização e outras dinâmicas de poder que envolvem a representação de mulheres e pessoas LGBTQ nos produtos culturais, além de compartilhar sua experiência na tentativa de construir personagens mais representativas e de forma mais ética.

Autora da série Garota Siririca e das zines A Ética do Tesão na Pós- Modernidade, publica quadrinhos independentemente desde 2013, virtualmente e em formato impresso. Aborda especialmente temas relacionados à sexualidade e relações de poder em narrativas autobiográfi cas, sob perspectiva feminista.

Onde? Sala AP11 - IA

Quando? Quarta (23/09), 14h às 15h30

Voltar

roda de conversa

Artes complementares da arquitetura e educação patrimonial Com George Gutlich

George Gutlich orienta um grupo de pesquisa que desenvolve cartilhas patrimoniais temáticas a partir de inventários de cidades do Vale do Paraíba paulista. Junto de seus orientandos, propõe uma roda de conversa sobre esta pesquisa que estabelece um diálogo entre a Arquitetura e as Artes Visuais. George Rembrandt Gutlich, artista gravador, Doutor em Artes, coordenador do Grupo de Estudos de Arte e Sociedade, pelo CNPQ. Professor e pesquisador no Departamento de Arquitetura e no Mestrado acadêmico em planejamento e desenvolvimento regional da Universidade de Taubaté.

Onde? Sala AP10 - IA

Quando? Quarta (23/09), 13h

Voltar

roda de conversa

O sistema das Artes Visuais e seus atores Com Melanie Graille

A convidada falará um pouco sobre sua experiência e o cenário cultural que os jovens artistas podem se inserir ao sair da Universidade. Pensando no aumento de espaços expositivos e no consequente aumento de público e de profi ssionais envolvidos no campo das Artes Visuais, é fundamental entender as diversas atividades e atribuições de cada um destes atores e profi ssionais envolvidos no setor. Diretora da Melanina Produções Culturais, Melanie Graille vem trabalhando com produção voltada para Artes Visuais. Pós- graduada em “Gestão Cultural: cultura, desenvolvimento e mercado” pelo Senac-SP, possui experiência na produção de performances e exposições, na Galeria Fortes Vilaça e em diversas outras instituições culturais.

Onde? Sala AP11 - IA

Quando? Quinta (24/09), 14h às 16h

Voltar

I FEIA OCUPA

Curadoria da exposição: Sabrina Alves, Deivison Dias, Felipe Castro e Rodrigo Faria.

No campo das Artes Visuais os projetos contemporâneos apresentam um movimento de sair do espaço expositivo tradicional de galerias e museus e tomar espaços abertos, propondo interferências, trocas e relações com este espaço e com o público. Assim, a I Exposição Aberta surge com o desejo de reunir trabalhos que tenham interesse em se relacionar com o espaço público, estando suscetíveis a transformações ao longo dos dias ao entrar no cotidiano de quem passa. Sua instalação acontecerá durante a semana do Festival, proporcionando ao público a possibilidade de acompanhar como se dá essa montagem, como é o fazer artístico que está por trás de uma exposição.

Onde? Praça do Marco Zero

Quando? 21/set - 25/set

Programação:

Trabalho/Apresentação Artista/Grupo Área Datas/Horários Descrição
Gravoar - Oficina de Xilogravura Amália Barrio, Laís D'Oliveira, Natália Gregorini. Artes Visuais Seg: 14h - 18h Gravoar faz parte da programação do I FEIA Ocupa, um projeto que busca levar trabalhos de arte de todas as áreas para a Praça do Marco Zero da Unicamp, trazendo o Festival para mais próximo da comunidade acadêmica e resinificando o espaço público. Gravoar é um projeto de oficina de xilogravura (gravura em madeira) na qual cada participante irá realizar pelo menos uma matriz própria.
Sem título Marion CHATTon Artes Visuais Seg: 14h O trabalho “Sem título” de Marion CHATTon faz parte da programação do I FEIA Ocupa, um projeto que busca levar trabalhos de arte para a Praça do Marco Zero da Unicamp, trazendo o Festival para mais próximo da comunidade acadêmica e resinificando o espaço público, explorando esta modalidade não tradicional de exposição. “Sem título” é um trabalho que investiga experimentações, procurando incorporar as propriedades e casualidades do material usado ao resultado final.
ExperimentAlgo Rafael Johnson e Salvador Scarpelli Artes Visuais Seg: 14h - 14:30 ExperimentAlgo faz parte da programação do I FEIA Ocupa, um projeto que busca levar trabalhos de arte de todas as áreas para a Praça do Marco Zero da Unicamp, trazendo o Festival para mais próximo da comunidade acadêmica e resinificando o espaço público. ExperimentAlgo é um projeto que deseja espalhar poesia e arte através de zines. O trabalho envolve dois momentos: a leitura de poesias e a distribuição dos fanzines. Deixa o registro em um varal durante a semana.
Em busca de um tempo perdido Victor Santos Artes Visuais Ter: 14h; Qui: 14h Em busca de um tempo perdido faz parte da programação do I FEIA Ocupa, um projeto que busca levar trabalhos de arte para a Praça do Marco Zero da Unicamp, trazendo o Festival para mais próximo da comunidade acadêmica, resinificando o espaço público e explorando esta modalidade não tradicional de exposição. Em busca de um tempo perdido é um performance em que o artista ficará sentado numa mesa tomando chá e comendo madeleines, enquanto lê "Em busca do tempo perdido" de Marcel Proust, imitando o personagem narrador do livro momentos antes de alcançar sua epifania. O expectador terá a possibilidade de sentar-se junto ao artista na mesa, beber do chá e acompanhar a leitura.
Escrita Volátil Rafael Giraldelli Artes Visuais Ter: 14h “Escrita Volátil” faz parte da programação do I FEIA Ocupa, um projeto que busca levar trabalhos de arte para a Praça do Marco Zero da Unicamp, trazendo o Festival para mais próximo da comunidade acadêmica e resinificando o espaço público, explorando esta modalidade não tradicional de exposição. "Escrita volátil" constitui-se atualmente em uma série de fotografias que documentam uma intervenção artística realizada em três localidades distintas do campus da Unicamp em Campinas / SP – a frente da cantina ocupada do IFCH, o terreno de obras da nova sede do Centro Acadêmico do IA, e o vão do IA. Tratam-se de espaços aos quais o corpo discente como um todo associa um histórico de intensa vivência estudantil, mas que, com o passar dos anos, sofreram mudanças que evidenciam o caráter efêmero de tal qualidade social. Consistindo em alterações ou no plano político universitário ou no plano arquitetônico, essas mudanças foram vistas como polêmicas por muitos estudantes, e é intenção dessa série trazer à tona tal problematização, não no sentido de tomar partidos, mas para afirmar que isso é parte integrante da realidade acadêmica. Fazendo uso do pó de mármore, a intervenção consistiu em escrever a palavra “efêmero” em frente a tais espaços, fotografando momentos em que o vento dispersava as letras.
Diálogos ao Vento Gab Buzzo e Cristina Santos Dança Ter: 17h Diálogos ao Vento faz parte da programação do I FEIA Ocupa, um projeto que busca levar trabalhos de arte de todas as áreas para a Praça do Marco Zero da Unicamp, trazendo o Festival para mais próximo da comunidade acadêmica e resinificando o espaço público. Diálogos ao Vento é um trabalho em processo de criação iniciado na disciplina Ateliê de Criação V do curso de Dança. Partindo de duas pesquisas diferentes que depois foram unidas, deu-se o trabalho atual. A pesquisa de Cristina Santos foi sobre os ritmos internos do corpo usando como imagens a mesa e a farinha. E a de Gab Buzzo foi sobre a comunicação através da língua de sinais, a LIBRAS, transformando-a em movimento. A junção dos dois trabalhos promoveu uma riqueza imagética e sonora peculiar. O encontro se deu nas mesas, onde mundos opostos se encontraram. O diálogo se fez pelo corpo, sentidos, cheiros, vento e muita escuta. Orientadora: Tabata Yara
Uma irremediável Escolha Grupo Desembargadores do Furgão Artes Cênicas Qua: 17h Uma Irremediável Escolha é um espetáculo cômico de máscaras teatrais, que coloca uma companhia de artistas no conflito entre seguir a Tradição ou aventurar-se na realização de um sonho. Para isso, quatro atores se utilizam de oito diferentes máscaras trazidas de Bali, na Indonésia, e contam uma história criada nos moldes das comédias populares tradicionais, com uma estrutura dramatúrgica simples e encantadora, colocando em diálogo o teatro, a dança, a música e o circo. Assim, o Grupo Desembargadores do Furgão, dirigido por Tiche Vianna, cria um universo fantástico e surpreendente, através de um espetáculo feito para ser apresentado em locais abertos, possibilitando o encontro do público com temas importantes de forma lúdica e poética.
Intervenções Molhadas & Secas Paraladosanjos Artes Cênicas As Intervenções Molhadas & Secas faz parte da programação do I FEIA Ocupa, um projeto que busca levar trabalhos de arte para a Praça do Marco Zero da Unicamp, trazendo o Festival para mais próximo da comunidade acadêmica e resinificando o espaço público, explorando esta modalidade não tradicional de exposição. Intervenções Molhadas & Secas é inspirado em fatos reais (e fantásticos também) de pessoas que sofreram algum tipo de intervenção brutal da natureza em suas vidas, seja pela abundancia ou escassez de água. Tratam-se de dramas e comédias fantásticas e visuais sobre a capacidade do ser humano, de poder sonhar, de se recriar frente a catástrofes e situações extremas. O tema abordado neste espetáculo é atual e polêmico: as catástrofes naturais que acarretam em grandes destruições de locais habitados, destruindo os pequenos paraísos particulares do homem ou melhor, seu lar. Desta forma, abre-se um campo para discussão das implicações sociais decorrentes destes desastres, bem como para uma reflexão sobre a fragilidade da vida humana diante de uma força da natureza. Mais um resultado das investigações práticas e apresentações públicas desenvolvidas pela cia ParaladosanjoS em parceria com o +C.E.P+, um coletivo de artistas que vem trazendo muitas novidades ao cenário nacional das artes cênicas. No módulo intervenções, serão realizadas cenas curtas do espetáculo de no máximo 20min.
Voltar

Dança

CATEDRAIS

Núcleo de Pesquisa em Expressão Corporal (NPEC)

“Catedrais” é construído a partir de referências históricas da evolução da burguesia desde o renascimento comercial e urbano na Idade Média até os dias de hoje. A partir de uma trilha que versa entre a música erudita e o eletrônico, as cenas versam de maneira crítica sobre assuntos atuais.

Onde? Auditório do Instituto de Artes - IA

Quando? Segunda (21/09), 13h (40 minutos de duração)

COREOGRAFIAS DE JOSHUA MONTEN (Suíça)

About Strange Lands and People

Intérpretes: Ariel Cohen e Joshua Monten
Dança-teatro sobre a interseção entre dança e língua de sinais, na qual diálo- gos em língua de sinais que partem das mãos e tomam o corpo inteiro vão se transformando em uma jornada através das vicissitudes da comuni- cação humana. A medida em que os bailarinos ganham uma proximidade desconfortável, emoções começam a surgir, dando enfim lugar ao vazio de quando tudo já foi dito e, ainda assim, precisa ser dito de novo.


Doggy Style

Intérpretes: Ariel Cohen e Jack Wignall
Dança-teatro sobre a interseção entre dança e língua de sinais, na qual diálo- gos em língua de sinais que partem das mãos e tomam o corpo inteiro vão se transformando em uma jornada através das vicissitudes da comuni- cação humana. A medida em que os bailarinos ganham uma proximidade desconfortável, emoções começam a surgir, dando enfim lugar ao vazio de quando tudo já foi dito e, ainda assim, precisa ser dito de novo.

Onde? Auditório do Instituto de Artes - IA

Quando? Ssgunda (21/09), 18h (50 minutos de duração)

Voltar

ENSAIO SOBRE AS PEQUENAS DISTÂNCIAS - ESTUDO PARA O INFINITO

Pesquisa, criação e interpretação: Marisa Lambert e Silvia Geraldi

Colaboração: Kenia Dias e Susi Martinell

“Ensaio sobre as pequenas distâncias – estudo para o infinito” trata das pequenas histórias do dia-a-dia. De proximidade e distanciamento. Que nos ligam a pessoas, mas também a um território, cidade. Ambiente partilhado com outros. Histórias de lugares que se tornam histórias pessoais. Grafi as da cidade no corpo. Pedaços de memória. Corpo que se cristaliza em espaço. Espaço de ação. Do perigo de se contar uma única história.

Onde? Sala AD01 - PAVIARTES (Barracão)

Quando? Terça (22/09), 18h

Voltar Voltar
Voltar

O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO AGORA [?]

Núcleo Fuga!

Elas transformam o espaço o tempo todo. O tempo se torna espaço e o agora se desfaz em detalhes insignifi cantes. O todo vira a parte da parte do que o olhar alcança. Elas narram tudo que fazem, veem e criam: temporalidades sobrepostas que esboçam dramaturgias intermitentes, pequenos frames em constante reorganização. Montagem. Desmontagem. Assemblage em deriva disparada por memórias inventadas. A performance “O que você está fazendo agora [?]”, resultado das ofi cinas da residência artística do Núcleo Fuga! no Lume Teatro, tem caráter duracional e itinerante. Para a apresentação na programação do FEIA 2015, os artistas do Fuga! escolheram um percurso que se inicia nos arredores do Terminal de ônibus de Barão Geraldo, depois entra e se espalha pelas plataformas e, por fim, se infiltram no ônibus 332 em direção ao Barracão das Artes Cênicas e Corporais, na Unicamp.

Onde? do Terminal de Barão Geraldo à Unicamp (Barracão)

Quando? Quinta (24/09), 14h

Voltar

Antônima Cia de Dança

“Somos tantos os que perderam o individual, a existência, que nossas solidões crescem sem raízes, como as algas abandonadas à mercê das ondas” - Cioran.

Uma investigação sobre a solidão como condição inerente do estar no mundo, o espetáculo “Só” parte de textos inéditos de Noemi Jaffe para falar de diferentes momentos em que nos percebemos sozinhos, mesmo quando em situações sociais e coletivas.

Onde? Auditório do Instituto de Artes - IA

Quando? Quinta (24/09), 20h

Voltar

A ÚLTIMA ESTRADA

Cia Soma

A trajetória pela dança conduziu a Cia Soma em seu desejo de compartilhar com o público uma narrativa. Em seu recente espetáculo os movimentos expressam em tom delicado os caminhos de um casal que deseja conhecer o mar. Por meio de uma história se revela uma dança e por meio da dança a Cia compartilha com o público uma nova gestualidade. Entre estranhas fi guras, muitas lembranças e culpas de tempos passados se revela uma nova estrada traçada sobre antigas referências.

Onde? Sala AD01 - PAVIARTES (Barracão)

Quando? Sexta (25/09), 18h

Voltar

Midialogia

MOSTRA DE CURTAS

Prelado (18’00’’)

Direção: Vitor Vilaverde

Os moradores do Prelado, uma vila de pescadores no litoral sul de São Paulo, contam suas histórias ao mesmo tempo em que se preparam para o baile da Folia de Reis. Cada história, seja ela real ou fantástica, pode ser verdadeira, sejam macacos gigantes que vivem no mato, fantasmas no cemitério ou uma bola de fogo que cruza o céu de sete em sete anos.


Café (7’05’’)

Direção: Vitor Garcia

Uma história lúdica sobre a luta para concluir o café da manhã em uma casa dividida entre um pai senil e um fi lho pragmático. Enquanto a situação se agrava, somos levados a nos perguntar se a loucura é mais do que aparenta


uma bolha no pé esquerdo de nina (20’00’’)

Direção: Rodrigo Faustini

A três dias da qualifi cação de seu mestrado, uma formação grotesca no pé de Nina rouba-lhe toda a concentração. O problema logo ganha novas proporções para a cosmóloga, enquanto certos mistérios acerca da natureza do Universo ressurgem.


Onde? Estúdio da Midialogia - IA

Quando? Segunda (21/09), 16h

Voltar

Vigilante (2015)

Direção: Rafael Ghiraldelli

"Vigilante" é uma videoperformance originalmente realizada em 2015 como componente de uma instalação homônima montada no Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (IA/Unicamp). A obra lida com a problemática dos rótulos interpessoais pejorativos ou preconceituosos impostos por uma sociedade de vigilância estabelecida, na qual a privacidade é a todo tempo desconstruída por práticas governamentais ou empresariais escusas, ou posta em segundo plano devido à intrusão das redes sociais no cotidiano humano contemporâneo.

Onde? Batcaverna - IA

Quando? Segunda (21/09), o dia inteiro

Voltar

evento do facebook

Direção: Matt Guzzo

Alex, após ter sua conta do facebook misteriosamente hackeada, é perseguido por seu duplo digital em telefonemas, relações sociais e até na vida real. Consumido por uma crise de identidade, o questionamento da realidade se torna inevitável.

Onde? Auditório do Instituto de Artes - IA

Quando? Terça (22/09), 19h

Voltar

AS COLEGAS DE TRABALHO (2014)

O maior brasileiro de todos os tempos (no 1 e no 2)

Direção: Colegas de Trabalho

O palco é um estúdio e As Colegas de Trabalho, dando continuidade a sua política de elaboração do projeto fi losófi co do Grupo Sílvio Santos, apresentam uma performance com músicas, quizzes, projeções, prêmios, abertura política e ruído parabólico - além de fazerem a estréia do novo Hino Nacional do Brasil. Somos SBT desde pequeninos, ave Maria-ave Maria!

Onde? Estúdio da Midialogia - IA

Quando? Quarta (23/09), 20h (50 minutos de duração)

Voltar

PRÉ-ESTREIA “COISA-MALU” (24’00’’)

Direção: Ana Luísa Dias Teixeira, Camila Santana, Levi Munhoz, Paula Cintra Ferreira, Renan Vieira e Tobias Rezende

Malu é uma criança de 8 anos que passa os dias fantasiando, mas esconde isso por medo de a julgarem diferente. Um dia, seguindo o som de um pífano, entra em um portal que a transporta para um mundo mágico onde interage com seres fantásticos e malucos que a colocam diante de diversas situações.

Onde? Auditório do IA

Quando? Sexta (25/09), 14h

Voltar

MOSTRA DE CURTAS

A última Guerra em Canudos: A Barganha (9’13’’)

Direção: Ariadne Iacovino e Rafael Ghiraldelli

ANTÔNIO, ex-líder popular em um futuro distópico no qual o aquecimento global levou à completa desertifi cação do mundo, negocia a contragosto com mercenários da região desolada onde habita no sentido de preservar a vida de sua esposa doente em troca de HELENA, uma jovem e misteriosa insurgente a qual ele vinha protegendo.


História de um OlhoPerformance (8’00’’)

Direção: Vitória Galhardi

O curta-metragem experimental explora o corpo feminino, questão de moralidade social em uma performance.É baseado no livro do autor francês Georges Bataille, História do Olho.


FUGA (7’44’’)

Direção: Mika Moret

Ninguém sabe os mistérios que se escondem por detrás das árvores ao cair do sol.


Hotel Savoy(10’30’’)

Direção: Bella Tozini

Imagens entrelaçadas, que comportam dois tempos, foram editadas em um fotofi lme, adaptando depoimentos reais e literatura como memórias de uma vida passada da artista, procurando criar uma narratividade poética que pode atuar nas brechas da memória e revelar o modo como visitamos e exploramos o território de nossas lembranças, que se manifestam como um conjunto dinâmico, de reformulação do passado e renovação de sentido no presente.

Onde? Estúdio da Midialogia - IA

Quando? Quinta (24/09), 15h

Voltar

Palestra "Engajamento e distanciamento na fotografia"

Com Corinne Noordenbos (Holanda)

Seminário de caráter introdutório em função da visita da Profa. Corinne Noordenbos à Universidade Estadual de Campinas, em que tratará de questões a cerca da história do fotodocumentarismo em vários países, bem como uma metodologia de pesquisa e produção em fotografi a. Com o objetivo introduzir a metodologia de pesquisa e produção em fotografi a, passando por importantes referencias visuais e aspectos objetivos e narrativos de cada projeto, o seminário também visa abarcar aspectos práticos dos workshops que serão organizados em seguida. Será ministrado em inglês.

Onde? Sala AP010 - IA

Quando? Quinta (24/09), 9h - 12h

Voltar

MOSTRA DE ÁUDIO

Plataforma (2’05’’)

Realizadores: Alec Akasaka, Flora Nakazone, Guilherme Augusto, Laura Trochmann e Ligia Luz

Exercício-áudio-arte-experimento. Uma profusão de sons envolvendo metrô e paranoia, pelo cotidiano ou eventual sobre a solidão e a mente


Polly na 1ª Estação (6’30’’)

Realizadores: Samuel B. Mariani; Declamação por Felipe Venâncio

Uma pedrada de imagens sonoras! Por um deserto mais povoado. Ou simplesmente menos claustrofóbico. Inspirado em “Sumário” de Ana C.


LUS1F3R (7’17”)

Realizadores: Alec Alaska, Caio Curtoli, Guilherme Augusto, Paola Favaro

Um trabalho sonoro experimental que te leva do paraíso ao inferno em apenas uma queda.


DOGMA FM (5’00’’)

Realizadores: Ana Júlia Carvalheiro, Flora Nakazone, João Araújo, Guilherme Agusto, Lucas Lazarini

O Dogma FM é uma paisagem sonora, representando o ato de escuta e sintonização de programas de rádio. A estrutura da paisagem foi pensada em cinco peças independentes produzidas por cada membro do grupo, que se articulam permeadas por uma ambiência caseira localizando o ouvinte desse rádio que o sintoniza. Os blocos se dividem em 5 temas: “Bom dia!”, “Coraçaum”, “Evangelyo”, “Mujeres Malditas” e “Esquizo”. No fi nal foi feita uma mixagem cacofônica de todos os trechos, terminando com um ruído branco quase imperceptível ao ouvido humano.


Sons de Fora (4’11”)

Realizadores: Flora Nakazone, Lucas Rampasso, Raphael Evangelista e Rodolfo Ventura

Durante uma noite de sono os sons presentes numa parte do inconsciente, vindos dos mais diversos contextos surgem sem suas fontes, criando um ambiente fantástico, possível apenas no mundo dos sonhos, sendo totalmente inquietante no mundo real. Nesse mundo uma música revisitada no silêncio aconchegante do sono vai se desconstruindo e parece gerar, com sua percussão, uma frota de aviões de guerra pronta para bombardear uma região próxima. A explosão é ouvida, mas logo se monta outro cenário. Um mundo que surge da memória, mas que é o mais sufocante quando não se pode acordar

Onde? Estúdio da Midialogia - IA

Quando? 15h

Voltar

Música

MASTERCLASS Com Carlinhos Antunes

Participação: Nina Neder

Carlinhos Antunes é músico formado pela Fundação das Artes e historiador formado pela PUC-SP. Toca violão, viola, tiple, charango, ronroco, cuatro, kora n’goni, saz, entre outros. Com 37 anos de carreira, já atuou e gravou com grandes nomes do Brasil e do exterior, como Tom Zé, Adoniram Barbosa, Jair Rodrigues, Grupo Tarancón, Badi Assad, Mahala Räi Band e Ionel Manole Trio (Taraf de Haidouks) da Romênia, Carácas Son Siete da Venezuela, Samir e Wissan Jubran da Palestina, Antonio Chainho de Portugal, Pascal Lefeuvre da França, Petros Tabourius da Grécia, Djiguiya de Burkina Faso, dentre muitos outros artistas. Já se apresentou em mais de 40 países e, em São Paulo, atuou nas principais salas como Sala São Paulo, Tom Brasil, Auditório Ibirapuera, SESC Pompéia, Vila Mariana e Pinheiros

Onde? Sala MU41 - IA

Quando? Segunda (21/09), 9h - 12h

Voltar

SAGANE (Recife)

Surgida na Bomba do Hemetério, bairro da Zona Norte de Recife-PE, em agosto de 1998, foi idealizada por Welington Energia, o qual, inspirado em Chico Science e Nação Zumbi, juntou garotos das redondezas e montou a Saga Nordestina, Saga-NE. Suas composições versam com um olhar poético sobre a temática da invisibilidade social, da massifi cação do indivíduo, da identidade e ancestralidade negras, do trabalho braçal, das festas populares e da marginalização. Formada por João Zarai (Voz e Samplers), Fagner Éfe (Bateria), Léo Papillon (Percussão), Guga Vilela (Guitarra) e Venâncio Melo (Baixo), a banda apresenta a proposta da “Música Negra das Américas”.

Onde? Teatro de Arena (Unicamp)

Quando? Segunda (21/09), 18h

Voltar

MADEIRAL

Grupo surgido em 2013 com o intuito de arranjar as músicas do compositor e violonista Lucas Madi, Madeiral reúne infl uências de diversos estilos como samba, jazz, música nordestina, música mineira e pop para construir uma sonoridade diferente para o universo da canção.

Onde? Vão do PB

Quando? Terça (22/09), 12h30

Voltar

TREM DOIDO

O grupo surgiu no curso de Música Popular da Unicamp, no contexto da disciplina de Prática Instrumental, e interpreta a música produzida em Minas Gerais a partir do fi nal da década de 60, em especial composições de Milton Nascimento e Toninho Horta. Composto pelos músicos Eddy Andrade (violão), Victor Polo (guitarra), Fernando Junqueira (bateria) e Paulo Ohana (voz), o Trem Doido é um quarteto que combina elementos de música vocal e instrumental em seus arranjos, fazendo releituras das canções de compositores que fazem parte do universo musical do Clube da Esquina.

Onde? Teatro de Arena (Unicamp)

Quando? Terça (22/09), 18h

Voltar

A REPÚBLICA IMPERIAL (Belém)

Se você não sabia, fique sabendo: a boa música é um sistema político que governa sensibilidades e inquietações. E a democracia dessa arte encontra líderes fortes na cena pop paraense. Um bom exemplo no trono desse cenário se chama A República Imperial. Uma banda que não se deixa reger por modismos e tem como súditos músicos que sabem escolher acordes instigantes para criar seu reino de sons. Desde sua origem o grupo escolheu misturar referências musicais hispano-americanas, brasileiras e afro caribenhas num flerte com variedades musicais contextualizadas na América Latina, criando uma estética suinguada e cálida. O grupo conta com Inês S. Fernandes no baixo, e traz nos vocais Genessi Rodriguez, Glaucia Freire e Alex de Castro.

Onde? Teatro de Arena (Unicamp)

Quando? Quarta (23/09), 18h

Voltar

MASTERCLASS Com Sidmar Vieira

Sidmar Vieira, nascido em São Paulo em 1986, começou tocar trompete aos 8 anos de idade, ingressou na ULM (Universidade Livre de Música) aos 11 anos de idade, onde iniciou seus estudos de trompete clássico com o professor Edgar Batista. Foi integrante da Orquestra Jovem Tom Jobim onde acompanhou grandes ícones da MPB como, Jane Duboc, Mônica Salmaso, Gilberto Gil, Maestro Roberto Sion, Proveta, Guilherme Vergueiro, Trio Corrente, entre outros. Tocou com importantes músicos da cena internacional como, Maria Schneider , Frank Sinatra Junior, Zalon Thompson, Sax Gordon , Tia Carroll, J.J Jackson, Donny Nichilo. Participou do Festival de Montreux com Márcia Castro em 2010. Participou de diversos musicais, entre eles: Sweet Charity, Into the Woods, Opera Porgy and Bess. Atualmente lançou seu primeiro CD, Sidmar Vieira quinteto, intitulado: “Livre”.

Onde? Sala MU41 - IA

Quando? Quarta (23/09), 9h - 12h

Voltar

LUCAS MADI E PAULO OHANA

Paulo Ohana e Lucas Madi se juntam para apresentar parcerias, composições próprias e canções que fazem parte da vivência musical dos dois. Paulo Ohana nasceu em Brasília, tem 25 anos, é cantor, compositor e violonista. Lucas Madi é um trovador que traz um violão potente e contrapontístico, com uma voz grave e presente.

Onde? Vão do PB

Quando? Quinta (24/09), 12h30

Voltar

Djambê (Belo Horizonte)

Djambê é multiplicidade. A banda consegue articular de maneira eficiente a poesia, o espírito crítico, a musicalidade e o trabalho coletivo. Em uma década de chão trilhado através da auto-gestão de carreira e shows realizados em diversas cidades do Brasil, a pulsação das infl uências musicais africanas somadas à energia do rock constroem o novo som apresentado pela banda, que o definiu como Rock-Macumba


Indee Styla (Espanha)

Sem dúvida uma das artistas mais representativas e completas da cena hiphop atual na Espanha e ao redor do mundo. Originalidade na mão, o hiphop no coração e a alma mestiça, ela vem da cena de Barcelona com sua voz única, talento nas composições e toda a força na performance explosiva que descortina também seus talentos como dançarina e renomada coreógrafa.

Onde? Coreto da Praça Carlos Gomes (ônibus saindo do IA/Unicamp)

Quando? Sexta (25/09), 20h

Voltar

Gaia

ENTRE DEVANEIOS

Intérprete: Ana Carla

Do surrealismo e da arte fantástica, uma dança a partir de transformações e  de imagens.

Onde? Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)

Quando? Segunda (21/09), 12h30

Voltar

VICTOR POLO

Compositor, arranjador, violonista e guitarrista, Victor Polo é aluno do curso de Música Popular da Unicamp, com habilitação em violão. Em seu show solo, ele leva ao público suas composições instrumentais e seus arranjos para temas de grandes compositores da música brasileira como Tom Jobim, Chico Buarque, Egberto Gismonti e Toninho Horta. Um dos elementos vitais do concerto é a improvisação, que permite ao músico maior liberdade para expressar o que está sentindo no momento.

Onde? Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)

Quando? Terça (22/09), 14h00

Voltar

UM CAFÉ PARA DOIS

Coletivo Volta

Direção: Marília Coelho

Um diálogo entre um casal, amigos ou mesmo desconhecidos, em que nenhum assunto importante é conversado. Até o momento em que a frase “você é meu companheiro” é dita, transformando esse diálogo numa grande contrariedade e incoerência na comunicação. Inspirada no livro “Morangos Mofados” de Caio F. de Abreu, a performance em dança “Um café pra dois” contém refl exos autobiográfi cos dos integrantes do Coletivo Volta sobre o amor, o companheirismo e as falhas na comunicação.

Onde? Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)

Quando? Terça (22/09), 13h30

Voltar

PAISAGENS: OLHARES DO NÃO-VISÍVEL

Intérprete: Laís Rodriguez

Orientação: Juliana Passos

Composição em dança em processo de criação que nasceu do desejo de ver além de olhar. A dança por meio de um estudo do que passa despercebido nos espaços/paisagens da Universidade, criará uma composição onde a emoção, a estética, a sensibilidade, estimulam a criação de sons, movimentos e imagens que se unem e se retroalimentam sugerindo universos diversos, e criando um espaço cênico multidisciplinar.

Onde? Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)

Quando? Quarta (23/09), 12h

Voltar

HELENA VADIA

Performer: Pâmela Villanova

Uma performopalestra que aborda discussões de gênero e sexualidade. Uma exploração cênica do mito de Helena, a mulher vadia, erótica, sexualmente ativa. Em meu corpo de atriz são experimentados marcadores de feminilidade e de masculinidade, justamente questionando a dualidade. Tão ambígua quanto Helena, a cena teatral é considerada um campo fértil para a fl exibilização do fazer gênero, da performatividade de gênero.

Onde? Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)

Quando? Quarta (23/09), 12h40


ABDUÇÕES PARA PEQUENAS REVOLUÇÕES

Performer: Anna Behatriz

Anna Behatriz é artista visual formada pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Iniciou sua produção artística em 2005 trabalhando performance, videoarte, desenho e dança. Possui um intenso trabalho artístico que desenvolve relações do corpo com seu limite, no qual a performance em questão se encaixa. Com um enfoque na idéia de absurdidade, traz aspectos relacionados com a morte enquanto estado da existência, pensando nas questões de limite do corpo dentro de uma ação, estranheza, pensando na confrontação de um estado de fato e uma certa realidade, assim tendo em vista a idéia de memória

Onde? Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)

Quando? Quinta (24/09), 12h30

Voltar

TRIO DO VENTO

Formado na cidade de Brasília, o Trio do Vento é composto por Luciana Viana (voz), Cairo Vitor (violão) e Pedro Miran- da (contrabaixo acústico). A proposta musical deste grupo é fazer uma canção brasileira com sonoridade que se coloca entre o popular e a música de câmara; com interpretações delicadas e profundas em arranjos que privilegiam caminhos musicais e poéticos referenciados na brasilidade.

Onde? Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)

Quando? Sexta (25/09), 12h30

Voltar

Noites FEIA

CANJA INSTRUMENTAL

A Canja Instrumental é um projeto de palco aberto, onde os músicos da cidade podem se reunir e experimentar livremente com a música instrumental. Quatro vezes por mês, bandas locais ou que tiveram sua formação na região, são convidadas para realizar a abertura da Canja, que conta com o apoio da Secretaria de Cultura de Campinas. Mais que um espaço de circulação, é a partir dele que tomamos contato com nosso bairro, nosso distrito, nossa cidade. Em cada esquina temos sempre a possibilidade de construir amizades passageiras e duradouras, amores furtivos e permanentes. A Canja Instrumental acontece todas as segundas em Barão Geraldo. Nessa, especialmente, ela se soma à programação do FEIA.

Onde? Villa Bar

Quando? Segunda (21/09), 22h

Amanda Gonsales e Denis Sartorato interpretam Cartola

Seu Angenor de Oliveira nos deixou canções com melodias e harmonias refi nadas, sendo considerado um sambista semierudito devido à beleza e complexidade de sua obra. A delicadeza visceral de Cartola revela-se em suas letras carregadas de sentimento, devido a uma vida sofrida, característica que traz ao inté prete um rico material para ser explorado. Amanda (voz) e Denis (violão), com novas concepções de arranjos e de interpretação, buscam manter viva a obra desse compositor que alcançou o sucesso apenas no fi m da vida.


Luiza Lian

O primeiro disco de Luiza Lian, lançado em abril de 2015 no Itaú Cultural, mostra a diversidade de suas raízes musicais e culturais. Cantora, artista gráfi ca e compositora, Luiza escreve uma autobiografi a sobre paisagens rítmicas diversas, transitando entre o brega, rock and roll e MPB.


Os Amanticidas

Amanticida: amada que mata amante. Os Amanticidas são uma banda paulistana formada em 2012 por Alex Huszar (baixo), Joera Rodrigues (bateria), Luca Frazão (violão 7) e João Sampaio (guitarra). Com um EP lançado em 2014, o grupo se dedica agora à produção de seu primeiro disco.

Onde? Echos

Quando? Terça (22/09), 22h

Voltar

Lançamento do quadrinho “Garota Siririca”

Da autora Gabriela Masson (Lovelove6), aborda especialmente temas relacionados à sexualidade e relações de poder em narrativas autobiográfi cas, sob perspectiva feminista

com as rappers: Jenny Jurovschi e convidados (Campinas), Mirelly Nascimento e DJ (São Paulo)

Onde? Casa São Jorge

Quando? Quarta (23/09), 22h

Voltar

FESTA EM REP

dom pescoço

A Dom Pescoço nasceu na zona rural da cidade de São José dos Campos - SP. Num espaço junto à natureza o grupo forjou seu primeiro repertório, prevalecendo a música autoral, somada ao suingue, à energia, à psicodelia e apimentada por ritmos latinos e brasileiros. São ondas sonoras para dançar, para pensar, para bem vibrar. São cinco caboclos botando quente nas pedradas.


helena9999

Sua performance mistura live e dj set de maneira única, criando misturas que vão do slow techno à ritmos andinos, passando por pontos de macumba e músicas folclóricas brasileiras. A mistura psicodélica e contemporânea de helena9999 cria ambientações de cores intensas e movimentos cheios de leveza


DJ Xegado

Vinícius Xegado, nascido em Uberlândia e estabelecido em Campinas desde 2010, tem como frentes de atuação a música, a produção e promoção de eventos culturais, e a sociologia. Nas atividades relacionadas à arte da discotecagem, utiliza exclusivamente discos de vinil, buscando trazer ao pú- blico diferentes abordagens da música brasileira de origem verdadeiramente popular, seja tradicional ou contemporânea, que vai dos grooves regionais do nordeste até o rap.

Onde? República a ser divulgada

Quando? Quinta (24/09),f 22h

Voltar

Borda com Choro

Onde? Borda Brasil - Pizzaria (RUA ANGELA SIGNORI GRIGOL, 243 BARÃO GERALDO, CAMPINAS/SP)

Quando? 20h

Oficinas


Clique nos números de vagas para ver as listas de inscritos

Música

Nome Oficineiri(s) Datas/Horários Local Vagas Descrição
Musica Mundana Carlinhos Antunes Seg; 9h-12h MU041 Ilimitada Palestra e Master Class onde Carlinhos Antunes fala sobre suas experiencias musicais ao redor do globo e Composições inspiradas em ritmos africanos e latinos. Com participação de Fernanda Vieria e Nina Neder.
Master class de Contrabaixo acustico Thibaut Delor Ter; 9h-12h MU041 Ilimitada Master class de Contrabaixo acustico aberto para ouvintes e executantes. Executantes:Preferencia por ordem de inscrição.
Master Class de Trompete Popular Sidmar Vieira Qua; 9h-12h MU041 Ilimitada Master class de Trompete Popular aberto para ouvintes e executantes. Executantes:Preferencia por ordem de inscrição. Haverá trompetes da Adams e bocais da Gott Vater.

Artes Cênicas

Nome Oficineiri(s) Datas/Horários Local Vagas Descrição
Passado e presente da palhaçaria feminina no Brasil: Formação Histórica das Mulheres Cômicas e Palhaças a partir das escolas de circo Sarah Monteath Seg e Ter; 9h-12h AC06 20 Mulher Palhaça?? De onde surgiram? Quais as influências? É possível falar sobre um humor feminino? Que tal conversarmos sobre essas e outras tantas questões a partir de um passeio sobre a mágica história do circo e do teatro?
Iniciação ao Teatro do Oprimido Jeniffer Fernanda de Oliveira Francisco Qua e Sex; 9h-12h AC01 30 Iniciação ao Teatro do Oprimido para atore e não-atores, para quem tem vontade de conhecer este trabalho, ou para aquele que já conhecem e querer conhecer um pouquinho mais sobre o Trabalho de Augusto Boal.
Espaço criativo: da escuta à ação Rodrigo Carinhana Qua, Qui e Sex; 9h-12h AC06 20 A oficina “Espaço Criativo: da escuta a ação” propicia ao participante um processo de dissolução do “eu-criativo” para emersão do “eu a serviço do espaço criativo”. Esse trabalho sobre a ação criativa pela escuta possibilita ao participante a criação de estruturas fixas onde ele não é o ser - criador, o foco das atenções. Mas sim, um participante ativo do processo – cedendo, escutando, observando e interagindo – deixando fluir algo que atravessa seu corpo surgindo daí a ação. As estruturas fixas serão trilhos nos quais se poderão vivenciar experiências verdadeiras no aqui e agora, desvelando-se assim, ante o ato criativo.
A Presença do Ator Carlos Simioni (LUME) Ter, Qua, Qui, e Sex; 9h-12h AC02 20 Carlos Simioni, ator pesquisador, abordará suas pesquisas desenvolvidas no Lume: a presença do ator, emanação de energia, a construção do corpo interior, e a estrutura física da voz. A presença diz respeito a algo íntimo, uma pulsação que transpassa e percorre toda a ação cênica. Neste curso trabalharemos a dilatação do corpo, a expansão da energia no espaço, o campo magnético, a transformação do peso do corpo em energia, a ação energética e a construção da presença cênica como princípios da dança pessoal, elementos técnicos desenvolvidos LUME durante décadas de pesquisa teatral.
O ator no cinema - A linguagem e a interpretação (palestra) Eduardo Bordinhon Qui; 14h CDC Ilimitado A palestra busca apresentar um panorama de diferentes possibilidades do aparecimento do ator no cinema, buscando entender a relação dele com o diretor e com elementos de criação da cena.

Dança

Nome Oficineiri(s) Datas/Horários Local Vagas Descrição
Dança em espaços públicos Ana Terra Seg e Qua; 9h-12h Barracão - Sala AD05 25 Nesta oficina, os participantes serão convidados a: [1] vivenciar práticas de preparação, investigação e criação em dança em espaços públicos; [2] conhecer ou ampliar conhecimento sobre a produção atual da dança contemporânea paulista identificada com a migração para diferentes contextos urbanos, naturais e sociais.
Dança e Identidade Corporal Carol Constantino Seg e Ter; 9h-12h Barracão - Sala AD04 20 Corpo: Como é o seu? Qual imagem você tem dele? Como você o percebe? Qual noção de corpo dá sustentação à sua produção artística? Ela está orientada por quais padrões sociais, históricos, culturais? Com o tema Identidade Corporal, a proposta desta oficina prática de dança é incentivar os participantes a buscá-la, seja na sua condição de artista ou de educador. A partir da temática do meu TCC em Licenciatura, a oficina será desenvolvida por meio de atividades técnico-criativas em que os participantes serão convidados a buscarem mais de si, conhecerem mais do outro e a expressarem-se através da arte da dança, destacando sua individualidade, potencialidades e, principalmente, suas qualidades. Vamos dançar em busca de um tempo no qual possamos dizer mais SIM a nós mesmos e à diversidade dos corpos!
A foto do corpo que dança Leo Lin Ter; 9h-12h Barracão - Sala AD03 12 Esta oficina realizará diálogos a respeito da fotografia do corpo que dança, sua importância, a síntese do movimento, sobre fotografias de registro e fotografias artísticas de dança. Voltada para bailarinxs e fotógrafxs para juntos trocarem ideias e produzirem um material fotográfico final previamente planejado, discutido e ensaiado.Bailarinxs devem trazer figurino próprio qualquer. Fotógrafxs devem trazer equipamento fotográfico próprio (câmera que capture em formato raw).
Experimentações em Dança e Escalada Coletivo Invertido Qui e Sex; 9h-12h Parede de escalada da FEF 12 Experimentações em Dança e Escalada é uma oficina voltada para estudantes e profissionais das artes corporais, que busca compartilhar com o público parte da pesquisa desenvolvida pelo Coletivo Invertido desde 2013 sobre apropriação dos espaços vertical e aéreo. A oficina, com 6 horas de duração, focará na experimentação prática dos espaços, por meio de exercícios de reconhecimento da prática da escalada, tanto questões dos materiais e estruturas quanto do treinamento técnico específico, além de exercícios de preparação corporal no solo e jogos de criação cênica na parede de escalada.***Oficina com pré-requisitos: ser artista circense, ator ou bailarino, ou ter vivência em alguma dessas áreas.
Corpo: Energia e Expressão Adilson Nascimento de Jesus Qui; 9h-12h Barracão - Sala AD01 30 Será desenvolvido um breve processo que envolve uma ideia de consciência corporal, junto de uma prática que envolve meditação, relaxamento, toque terapêutico e dança.
Videodança: (DES) Enquadrando composições Carolina Natal Qui; 9h-12h Barracão - Sala AD06 e espaços externos diversos 25 Esse encontro visa apresentar algumas referências da dança na imagem em movimento, atravessadas tanto pelo cinema quanto pelo diálogo com outras expressões artísticas, e experimentar relações estabelecidas entre o espaço da imagem e o espaço do corpo, desencadeando interfaces simultâneas de lógicas de composição. Todo participante deve trazer uma câmera, podendo ser o próprio celular
Dança com mostra de vídeo Cia Oito Nova Dança Sex; 14h-18h Barracão - Salas AD06 e AD05 25 Mostra de vídeo com registros audiovisuais pesquisados na criação do espetáculo, seguida por oficina de dança contemporânea com Lu Favoreto, diretora e intérprete da Cia Oito Nova Dança

Artes Visuais

Nome Oficineiri(s) Datas/Horários Local Vagas Descrição
Gravoar - Oficina de Xilogravura Amália Barrio, Laís D'Oliveira, Natália Gregorini. Seg; 14h-18h Praça do Marco Zero - I FEIA Ocupa 12 Oficina de xilogravura (gravura em madeira) na qual cada participante irá realizar pelo menos uma matriz própria. Os participantes devem levar avental no dia da oficina.
Encantoamento, preparação para quinas e cantos – oficina de performance. Anna Behatriz Seg, Ter e Qua; 09h-12h AP10 15 Esta oficina tem como material poético o corpo e suas relações com espaços internos, a pele, atmosferas externas e suas relações. No primeiro momento faremos exercícios de percepção espacial nos contextos do canto e quinas e da imensidão da intimidade (termos trabalhados por Gaston Bachelard), usaremos o desenho para criarmos situações de composição com o corpo e objetos para contextualizarmos este corpo em ação. No segundo momento da oficina, partiremos para a elaboração de performances com o material poético investigado anteriormente pelos participantes (provindas do primeiro momento da oficina). Material necessário: Vir com roupas confortáveis. Trazer um objeto que possa caber em uma quina ou um canto. Trazer celular ou câmera para registros e canetão, ou material de desenho.
Quadrinhos e representatividade LoveLove6 Ter; 9h-13h AP07 25 Oficina introdutória de criação de quadrinhos, a partir da análise de estruturas tradicionais e contemporâneas de composição e narrativa. A oficina é guiada pela reflexão de temas de identidade, representação feminina e LGBTQ. Indicada especialmente para pessoas mulheres, negras, trans, não binaries, pertencentes a grupos marginalizados e subrepresentados politicamente.
Técnicas de colorização no Photoshop Rafael Ghiraldelli Qua; 9h-12h AP07 20 Aula demonstrativa de técnicas de colorização digital através do software Adobe Photoshop. Também serão abordadas estratégias de arte-final e de tratamento de imagem no programa em questão, sendo que, ao final, será realizada uma atividade optativa na qual os participantes poderão pôr em prática os conhecimentos obtidos ao colorirem digitalmente um desenho em seus respectivos notebooks com o Photoshop previamente instalado.
Oficina de Cianotipia Felipe Castro Qui; 9h-12h AP05 - Laboratório de Gravura 20 A atividade tem como ponto de partida uma conversa sobre a descoberta do processo de cianotipia, seus impactos na consolidação da fotografia no séc XIX e as possibilidades experimentais. No segundo momento, os participantes ficarão livres para desenhar nas transparências que servirão de negativo para as impressões no papel. O próximo passo sera sensibilizar os papeis com a emulsão e posicionar as transparências na superfície fotográfica. Ao final o material é exposto ao raios UV do sol, etapa necessaria para fixação das imagens.
História em Quadrinhos: Dinâmica de Leitura e Processo Criativo Edegar Agostinho Qui; 9h-12h AP07 25 A oficina tem como meta apresentar alguns dos funcionamentos da dinâmica de leitura das histórias em quadrinhos, tanto no formato físico como no formato digital (webcomic). Também apresentará maneiras de nortear o processo criativo, usando como referência métodos de alguns autores e do próprio palestrante. A oficina contará com exercícios práticos sobre dinâmica e tempo de leitura.

Midialogia

Nome Oficineiri(s) Datas/Horários Local Vagas Descrição
Oficina de Adobe After Effects Eric Dias Seg; 9h-12h MM02 20 Introdução a animação utilizando Adobe After Effects.
Abordagem dos seguintes tópicos:
  1. Interface do programa;
  2. Efeitos;
  3. Introdução à Animação através de Keyframe e Expression;
  4. Animação de texto;
  5. Rigging e Animção de personagem através de Duik;
  6. Integração 3D através de VC Element;
  7. Rendering
Oficina de Correção de Cor Franco Simões e Tobias Rezende Seg e Ter; 9hs-12h Seg. - MM03ç Ter. - Noya 12 Introdução ao uso da cor como elemento narrativo em obras audiovisuais, apresentando conhecimentos básicos da correção de cor.
Oficina-Processo de criação de jogos em plataforma ARG Kaian Ciasca, Marcelo Nisida, Isabela Bustamanti e Ewerton Ribeiro Quarta; 9hs - 12hs Estúdio 7 Os jogos ARG ou Jogos de Alternância de Realidades vêm crescendo no mundo todo e tem formas de se produzir e se jogar das mais diversas. A partir de uma discussão prática e informal a oficina tem o caráter de apresentaro estilo de jogo e a experiência de criação pela qual o grupo passou, além de discutir novas possibilidades que essa plataforma gera, como usos na educação, comunicação e política.
Fotodocumentarismo Conceitual com Corinne Noordenbos Corinne Noorbebos Sex; 9h-12h Ap06 25 Primeira parte de cinco do workshop que será ministrado pela professora Corinne Noordenbos (NL) durante sua visita ao Brasil.Desenvolvimento científico e artístico na área de fotografia documental com forte aspecto prático e de reflexão. Os workshops tem como objetivo produzir uma série de fotografias que poderão estar contidas em uma publicação, bem como auxiliar projetos que estão em presente desenvolvimento
Programas para Animação Digital 2D Thais Uzan Qua; 9h MM02 25 Exposição de programas para animação digital via debate, palestra e apresentação de slides e vídeos.

Interdisciplinar

Nome Oficineiri(s) Datas/Horários Local Vagas Descrição
Arte de Discotecar Fabio Bana, Guilherme Augusto, Otávio Ariza e Vinícius Xegado Qui e Sex; 9h MM03 25 A oficina visa discutir e introduzir os participantes no trabalho de um disc-jockey, o DJ. Haverá discussões sobre música, o lugar da performance do DJ de seu surgimento à contemporaneidade e cultura de DJs, abarcando temas como identidade, representação, narrativas e mercado. Também ensinaremos fundamentos da técnica e operação de suportes de DJs, como CDJs, Toca discos e Controladoras.

Oficinas Vinculadas

Nome Responsável Datas/Horários Local Inscrições Descrição
Workshop de Criação em Dança Contemporânea baseada em Linguagem de Sinais Joshua Monten
  • de 15 a 18/09: 18h-20h
  • 19/09: 9h-11h
  • 21 e 22/09: 12h-14h
AD01 (Departamento de Artes Corporais), Rua Pitágoras, 500 jutarumoto@gmail.com Será abordada a metodologia que Joshua Monten (coreógrafo residente na Suíça) criou e desenvolveu em seu trabalho, encorajando os alunos a colaborar com a sua continuação. Dentro dessa pesquisa metodológica criativa, o trabalho com linguagem de sinais afeta questões que são fundamentais para a dança contemporânea - principalmente quando compreendemos o movimento como aquele capaz de gerar comunicação. Nesse sentido, vemos as inúmeras tensões por onde se desenvolvem as camadas da comunicação dentro da dança-teatro performance. Esse workshop irá introduzir o campo do teatro-dança europeu (tanztheater), campo de atuação do trabalho de Joshua Monten.
Residência Artística Projeto cAsa - O quê você está fazendo agora [?] Projeto cAsa 22 e 23/09; 9h-12h Lume Teatro nucleofuga@gmail.com Oficina Desculpas Cotidianas para Dançar: Proposta prática na qual os integrantes do Núcleo compartilham os três procedimentos usados no processo de criação da performance “O que você está fazendo agora [?]”. A pesquisa do movimento dançado se apoiará na conscientização e exploração do movimento guiados pela pesquisa prática do Núcleo Fuga! (articulações entre a Técnica Klauss Vianna de dança e educação somática, princípios do LUME Teatro e do Cambar Coletivo).

Inscrições


Quero me inscrever!

Endereços


  • IA - Instituto de Artes da Unicamp


    R. Elis Regina, 50 - Unicamp
  • PAVIARTES (Barracão)


    R. Pitágoras, 500 - Unicamp
  • Galeria do Instituto de Artes da Unicamp (GAIA)


    R. Sérgio B. de Hollanda, s/n - Prédio da BC, Unicamp
  • Marco Zero


    Praça do Ciclo Básico - Unicamp
  • Vão do PB


    R. Sérgio B. de Hollanda, s/n - Unicamp
  • Villa Bar


    Av. Santa Isabel, 1762 - Barão Geraldo
  • Echos


    Av. Agostinho Pattaro, 54 - Barão Geraldo
  • Casa São Jorge


    Av. Santa Isabel, 655 - Barão Geraldo
  • Borda Brasil - Pizzaria


    Rua Ângela Signori Grigol, 243 - Barão Geraldo
  • Lume Teatro


    Rua Carlos Diniz Leitão, 150 - Barão Geraldo
  • Auditório Beethoven - Concha Acústica do Taquaral


    Av. Dr. Heitor Penteado, 1671 (Portão 2)
  • Estação Cultura de Campinas


    Rua Francisco Teodoro, 1050
  • Praça Carlos Gomes


    R. Irmã Serafina, s/n
  • CEU - Centro de Artes e Esportes Unificados


    Rua Lasar Segal, 110 - Jd. Florence

Contato


Envie suas mensagens e dúvidas para o colo de Morfeu